AMCESPAR
www.amcespar.org.br

05/08/2020 02:04:57
   
 
Dia D contra a Dengue

terça-feira, 16 de março de 2010

Defesa Civil, 4ª Regional de Saúde e Vigilância Sanitária Municipal uniram forças em Irati para promover o dia D de combate à dengue, nos dias 12 e 13. O objetivo foi chamar a atenção da população para a importância de ações simples, mas eficazes na prevenção à proliferação do mosquito transmissor da doença. A mobilização incluiu a distribuição de panfletos informativos, carreata pelas ruas da cidade e mutirão para coleta de materiais recicláveis nos bairros onde focos do inseto foram detectados. Além de funcionários, a Prefeitura disponibilizou caminhões e maquinário para remoção e destinação correta dos materiais coletados.

De acordo com a Vigilância Sanitária, este ano foram encontrados quatro focos do mosquito transmissor da doença em quintais de residências localizadas no centro e nos bairros Alto da Glória, Jardim Planalto e Rio Bonito. Dois casos suspeitos de dengue foram notificados no início do mês pelo setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde de Irati. O resultado dos exames laboratoriais será divulgado nos próximos dias pelo Laboratório Central do Estado – Lacen; se houver confirmação, os pacientes terão contraído a doença no município.

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou que 1.539 casos de dengue foram registrados este ano, sendo 1.357 autóctones (contraídos dentro do Paraná) e 182 importados. “Há três vírus diferentes que transmitem a dengue circulando no Estado, o que aumenta as chances de dengue hemorrágica”, alerta o diretor da 4ª Regional de Saúde, Richard Medeiros, complementando que não há vacina contra a doença.

A única forma de evitar a dengue é prevenir a reprodução do mosquito, o que depende diretamente da população para, que deve adotar em casa e nos locais de trabalho medidas para eliminar possíveis criadouros do inseto. O comandante do Corpo de Bombeiros, 1º tenente Elcio José de Meira, considera preocupante o longo período de chuvas que a região vem enfrentando, o que contribui para o acúmulo de água – e água parada é onde o mosquito deposita seus ovos.

Várias doenças, mesmos sintomas

A dengue pode matar. Trata-se de doença infecciosa febril aguda causada pela infecção pelo vírus transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Não há transmissão pelo contato direto com o doente ou secreções, nem por meio de água ou alimentos.

Os seguintes sintomas podem aparecer: febre alta com início súbito; forte dor de cabeça; dor atrás dos olhos; perda do paladar e apetite; manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, sobretudo no tórax e braços; tonturas, náuseas e vômitos; cansaço extremo; moleza; dores no corpo, nos ossos e articulações. É importante procurar orientação médica ao surgirem os primeiros sintomas, que podem ser confundidos com os da gripe comum, gripe A (H1N1), febre amarela, hantavirose, malária e leptospirose.

Dever de combater a dengue é de todos

Todos os moradores de Irati têm o dever de colaborar para evitar a proliferação do mosquito que transmite a dengue. Basta ter cuidado com recipientes que possam acumular água, como pratinhos de vasos, garrafas e caixas d’água. Mesmo que a água seja retirada, os ovos do inseto podem permanecer no local por mais de 100 dias; por isso, para esterilizar recipientes que continham água parada é preciso lavá-los com esponja e sabão. É preciso efetuar em casa e no local de trabalho a separação do que é lixo orgânico e o que é lixo reciclável; materiais como plástico, metal, papel e vidro devem ser colocados para a coleta feita pela Cooperativa de Agentes Ambientais de Irati. Em locais onde o serviço de coleta de lixo orgânico ocorre uma vez por semana, deve-se acondicionar os resíduos em um recipiente grande com tampa. Jardins e quintais devem ser mantidos limpos, com grama aparada, mato roçado, livres de lixo, entulhos e objetos que possam reter água. Locais onde há lixo, entulho e mato crescido propiciam o aparecimento do mosquito da dengue e de animais peçonhentos, como aranhas, cobras e escorpiões. Essas medidas valem também para proprietários de terrenos sem construção.

Outras informações podem ser obtidas na Vigilância Sanitária, telefones 3907-3023 e 3907-3147.


Informações complementares:

4ª Regional de Saúde – tel (42) 3422-2427

Corpo de Bombeiros – tel (42) 3423-2266

Secretaria Municipal de Saúde – Epidemiologia – tel (42) 3907-3135

Vigilância Sanitária Municipal – Combate à dengue – tel (42) 3907-3023